• acampos256

Planejamento Estratégico

Atualizado: 9 de Ago de 2019



Falar da importância sobre se pensar no futuro buscando oportunidades que melhore nossas organizações é chover no molhado. Com todos que converso, invariavelmente ouço a clara necessidade dessa atividade e sua importância para a saúde do empreendimento.

O que me chama a atenção é a dicotomia entre essa percepção positiva sobre planejar o futuro e a sua pequena utilização, em especial em nosso segmento.

A conclusão que chego, conversando com executivos de nossa área, é de que a utilidade ou efetividade não justifica o esforço. E essa percepção tem sua origem na qualidade dos planos desenvolvidos, colocados em prática e invariavelmente abandonados no meio do caminho.


Um bom planejamento deve representar uma imagem clara sobre onde queremos ver nossa organização no futuro. E a qualidade dessa imagem é essencial.


Em muitos casos, ao ler planos estratégicos, consigo enxergar um esboço, no máximo uma figura disforme, borrada e sem muitos detalhes: às vezes com sombras e perigos assustadores, às vezes um sonho de uma tarde de verão, onde tudo vai dar certo. Em qualquer dessas situações a imagem se apresenta irrealista e sem apego a realidade que iremos encontrar.


O interessante é que é a combinação dessas 3 imagens que formam um bom plano.


Quando estamos criando uma imagem sobre “o que vai ser” sempre teremos um esboço. E, à medida que nos aproximamos do ponto de chegada, a cada correção feita,a imagem se torna mais clara, realista e com um volume de detalhes cada vez maior. Portanto deveremos gradualmente redesenhar essa imagem que gradativamente se torna mais nítida e realistas.


Ali também deve estar representado os riscos e perigos que podem acontecer, nos dando a oportunidade de preparação para evitá-los.

Quando somos otimistas, como em uma tarde de verão,também carregamos nossos planos com nossas mais profundas convicções sobre a qualidade de nossas organizações para superar os desafios que estão entre hoje e a visão que queremos.


E há um quarto elemento neste processo, que é a precisão de dados reais tanto do passado quanto projeções estatísticas sobre a evolução da economia, quando consolidam de forma muito firme a possibilidade de cenários futuros se realizarem.


Então a combinação desses 4 fatores é que dará a qualidade que um plano tem que ter.

Agora fazer uma bela imagem sobre nosso futuro com todos os obstáculos e oportunidades que conseguimos enxergar não serve de nada se não compararmos essa imagem diariamente com a realidade que ela representa e redesenhá-la.


Uma última dica:


Nós, da ESTACIONAMENTORIA, montamos uma metodologia para apoiar as empresas que queiram escrever seu futuro.


Criamos um conjunto de ações que se compõe de forma customizada para a realidade de cada cliente, podendo ser desde uma conversa sobre o assunto até a construção de um plano com todos os seus componentes.

Vale uma visita ao nosso site ou um papo conosco.


11 visualizações